Bolívia contradiz Israel e nega fornecer urânio ao Irã

LA PAZ (Reuters) - O governo boliviano rejeitou na terça-feira a suspeita israelense de que o país e a Venezuela estariam fornecendo urânio ao Irã, que vive em atrito com o Ocidente e com o Estado judeu por causa do seu programa nuclear, que Teerã garante ser pacífico. O ministro da Presidência, Juan Ramón Quintana, declarou que a Bolívia nem sequer produz urânio, e qualificou de barbaridade a informação, atribuída pela imprensa ao Ministério de Relações Exteriores de Israel.

Reuters |

A acusação constava num suposto relatório secreto de Israel que veio à tona na segunda-feira, mas cujo teor não foi confirmado pelo governo do país.

"As agências de inteligência de Israel estão sofrendo de uma severa crise de capacidade de aptidão e de condições de trabalho", disse Quintana a jornalistas. "É preciso declarar a qualquer agência do Estado de Israel como uma agência de ineptos, incompetentes, além de palhaços, porque só a um palhaço pode lhe ocorrer semelhante barbaridade".

O governo esquerdista da Bolívia rompeu relações com Israel em meados de janeiro, em protesto pela ofensiva militar do Estado judeu contra o grupo islâmico Hamas na Faixa de Gaza.

Fontes do Ministério de Mineração da Bolívia admitiram que há "pequenas reservas" de urânio em algumas regiões do país, que no entanto não são exploradas.

(Reportagem de Diego Oré)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG