Bolívia começa campanha para eleições regionais de abril

La Paz, 1 fev (EFE).- A Corte Nacional Eleitoral (CNE) da Bolívia anunciou hoje a abertura da campanha para as eleições regionais de 4 de abril, que escolherão, entre governadores, prefeitos e vereadores, mais de 2.

EFE |

500 novas autoridades do país.

Os bolivianos terão que escolher nove governadores, 144 membros das assembleias departamentais (estaduais), 337 prefeitos, 1.887 vereadores e 23 autoridades indígenas.

É a primeira vez que os eleitores decidirão em um mesmo dia sobre tal quantidade e diversidade de cargos. A ideia do Congresso boliviano é avançar no processo de descentralização.

No caso dos índios, a Corte Nacional respeitará os costumes das etnias para nomear as autoridades, que podem ser escolhidas por aclamação ou por decisões de dirigentes.

O governamental Movimento ao Socialismo (MAS), do presidente Evo Morales, é o partido com mais candidatos em todo o país.

O principal objetivo dos governistas é ganhar a prefeitura nas capitais dos departamentos de Santa Cruz, Beni, Tarija e Chuquisaca, onde a oposição conservadora se estabeleceu.

Desde que Evo Morales assumiu o poder, em janeiro de 2006, a Bolívia realizou vários pleitos e consultas das mais variadas índoles, como referendos sobre autonomia, constitucionais ou sobre a continuidade das principais autoridades do país, além das eleições gerais de dezembro passado. EFE ja/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG