Bolívia: candidato presidencial da oposição mantém grave de fome

O candidato da oposição René Joaquino entrou no terceiro dia de sua greve de fome para protestar contra a decisão do Congresso, de maioria governista, que modificou a inscrição de bolivianos que moram no exterior para as eleições de dezembro, o que favoreceria o presidente Evo Morales.

AFP |

"Não sou contra o voto no exterior, mas questiono a manipulação de última hora, de querer mudar uma lei aprovada pelo mesmo governo", explicou Joaquino, que está em La Paz.

A greve de fome do ex-prefeito de Potosí (sur), líder da Aliança Social (AS, centro-esquerda), é um protesto contra a aprovação de inscrições sem limites no exterior, o que muda o padrão antigo de 3,5 milhões de eleitores aprovado em março deste ano dentro da lei que convocou o pleito presidencial de 6 de dezembro.

A modificação aprovada pelo Congresso significa cerca de 200.000 votos a mais - segundo a oposição, a vantagem favorecerá o presidente Morales, grande favorito à reeleição.

str/rb/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG