Bolívia: bandeira indígena motiva nova disputa entre Governo e oposição

La Paz, 19 fev (EFE).- A nova Constituição da Bolívia fez da wiphala, tradicional bandeira indígena, um dos símbolos oficiais do Estado plurinacional, mas também gerou polêmica nas regiões opositoras ao presidente Evo Morales.

EFE |

Os departamentos de Santa Cruz (leste) e Tarija (sul) rejeitam colocar a wiphala ao lado da bandeira nacional nos prédios públicos, argumentando que não representa sua cultura, confirmaram hoje à Agência Efe representantes dessas regiões.

Já Oruro (oeste) e Cochabamba (centro) foram as primeiras regiões a içar a bandeira de forma solene em suas sedes oficiais.

No dia 7 de fevereiro, Morales promulgou a nova Carta Magna, que em seu artigo 6.2 detalha que os símbolos do país são sua bandeira tradicional, o hino boliviano, o escudo de armas, a wiphala, a flor de kantuta (típica dos Andes) e a flor do patujú (comum no leste).

O ministro de Culturas boliviano, Pablo Groux, disse que há muitas teorias sobre o significado desta bandeira, mas a mais aceita é de que representa o "multiculturalismo da área andina", e por isso é "um símbolo dos povos indígenas" e, agora, dos bolivianos.

Apesar disso, as autoridades de regiões opositoras a Morales não se sentem representadas na bandeira indígena, e decidiram não içá-la em seus prédios públicos.

"Nós, de Santa Cruz, não reconhecemos a wiphala", disse hoje à Efe o secretário de Autonomias da Prefeitura, Carlos Dabdoub.

Segundo Dabdoub, a única bandeira que representa todos os bolivianos é a oficial da Bolívia.

Outros líderes regionais, como o presidente do Conselho Municipal de Santa Cruz, Enrique Landívar, são mais enfáticos no momento de recusar o uso da bandeira indígena.

"Essa bandeira representa à cultura do oeste da Bolívia, não a nossa. Nós mantemos nossos símbolos", afirmou.

Apesar de este novo símbolo nacional aparecer na Constituição promulgada recentemente, a falta de uma norma específica sobre a matéria faz com que apenas alguns locais do país tenham adotado a wiphala em suas sedes oficiais. EFE vs/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG