Bolívia avalia impacto no país da hidrelétrica brasileira de Jirau

La Paz, 18 nov (EFE) - O Governo da Bolívia anunciou hoje que iniciou estudos com a cooperação do Canadá para avaliar o possível impacto de duas hidroelétricas que o Brasil construirá no rio Madeira.

EFE |

O ministro de Exteriores boliviano, David Choquehuanca, disse hoje em entrevista coletiva que este é um "dos temas sensíveis" na relação com o Brasil e assinalou que o país precisa contar com estudos técnicos para encarar as conversas com as autoridades brasileiras.

O Governo da Bolívia se opõe à construção dessas instalações porque acredita que essa área amazônica, perto da região boliviana de Pando, será prejudicada com as inundações e terá conseqüências sobre as povoações fronteiriças.

Choquehuanca afirmou que as explicações oferecidas até agora pelas comissões técnicas do Brasil não satisfazem à Bolívia, por isso as autoridades bolivianas recorrem a novos estudos com a cooperação do Canadá para conhecer os potenciais efeitos das obras.

Na semana passada, o Governo brasileiro aprovou a licença ambiental para a construção da central de Jirau, que, junto à de Santo Antônio, fará parte de um complexo hidrelétrico. EFE ja/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG