Bolívia acusa EUA de ingerência no antigo Governo Quiroga

La Paz, 31 mai (EFE).- O Governo da Bolívia denunciou hoje que o Departamento de Estado americano pressionou em 2001 o então presidente Jorge Quiroga (2001-2002) para fechar um mercado de coca, o que provocou um grave conflito social que deixou dez mortos.

EFE |

O vice-ministro de Coordenação com os Movimentos Sociais, Sacha Llorenti, fez a denúncia em um programa da TV estatal no qual apresentou como prova um documento desclassificado de 21 de novembro de 2001.

No documento, um funcionário dos EUA assinala que ações Quiroga teve que tomar contra o comércio de coca.

Segundo Llorenti, o documento estabelece a posição dos EUA sobre a política antidrogas que Quiroga deve seguir e recomenda uma erradicação "agressiva" e o fechamento do mercado da folha existente em Sacaba, no centro do país.

O conflito de Sacaba causou a morte de dez pessoas, entre camponeses e militares, em janeiro de 2002, como lembrou o vice-ministro ao assinalar que a documentação desqualificada chegou há pouco tempo a suas mãos.

"Cumprindo estritamente a instrução, o que fez Jorge Quiroga foi fechar os mercados", disse Llorenti.

"A ingerência é inaceitável, mas mais inaceitável é o servilismo", acrescentou o funcionário do Governo Evo Morales.

Quiroga governou a Bolívia entre 2001 e 2002 para completar o mandato iniciado em 1997 pelo então presidente Hugo Banzer, que renunciou ao cargo por doença. EFE ja/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG