Boatos sobre gravidez de Carla Bruni podem ajudar Nicolas Sarkozy

Analistas acreditam que líder francês poder melhorar índices de popularidade se rumores sobre primeira-dama forem verdadeiros

BBC Brasil |

selo

Analistas afirmam que o presidente da França, Nicolas Sarkozy, poderia se beneficiar politicamente se a primeira-dama, Carla Bruni, estiver grávida, como sugerem rumores que circulam pelo país. Sarkozy está em baixa em todas as sondagens sobre as eleições presidenciais em 2012.

Caso a gravidez seja confirmada, seria a primeira vez que um presidente francês se tornaria pai durante o exercício de suas funções - o que garantiria ao mandatário uma ampla repercussão na imprensa. Além disso, nunca uma primeira-dama francesa despertou tanto interesse quanto Carla Bruni, cantora e ex-top-model.

Diferentemente de Sarkozy, Bruni tem apoio popular. Segundo uma pesquisa do Instituto Ifop divulgada em janeiro, 66% dos franceses afirmam estar "satisfeitos" com a maneira como ela desempenha seu papel de primeira-dama.

Vários especialistas afirmam que Sarkozy coloca em evidência sua relação amorosa e se aproveita da popularidade de sua esposa.

Em uma entrevista ao jornal "Le Parisien" na segunda-feira, na qual respondia a perguntas de leitores, Bruni preferiu manter a dúvida em relação a uma possível gravidez.

O boato foi veiculado pela primeira vez dias antes por uma revista de celebridades. A publicação afirmou "ter certeza" da notícia, afirmando que a fonte seria um conselheiro do presidente. "Minha boca está fechada. Não por arrogância ou gosto por segredos, minha boca está fechada para proteger algo e para proteger todo o trabalho que ele (Nicolas Sarkozy) faz", disse Bruni.

Discussões na internet

Esta não é a primeira vez que surgem rumores sobre uma possível gravidez da primeira-dama, de 43 anos, mãe de um garoto de 10, nascido durante o casamento com um filósofo francês.

Os boatos já provocam discussões em fóruns na internet. Muitos franceses questionam se a gravidez seria uma estratégia política para tentar salvar a candidatura de Sarkozy às eleições presidenciais de 2012.

"Desde quando um bebê faz parte de um programa de campanha?", questiona um dos internautas. Segundo um especialista em pesquisas de opinião, entrevistado pelo "Journal du Dimanche", um bebê "poderia representar cinco pontos a mais nas sondagens".

Sarkozy é o líder francês com o índice mais baixo de popularidade da chamada Quinta República, iniciada com o general Charles de Gaulle, em 1958. Em uma pesquisa do Instituto Ifop para a revista "Paris Match", divulgada em 26 de abril, Sarkozy perderia no segundo turno das eleições presidenciais para qualquer candidato socialista, incluindo sua ex-rival Ségolène Royal.

Em outras sondagens recentes, Sarkozy perderia logo no primeiro turno, ficando atrás dos socialistas Dominique Strauss-Khan (diretor-geral do Fundo Monetário Internacional), de Martine Aubry e também da líder da extrema-direita Marine Le Pen. Nicolas Sarkozy tem três filhos, dois de seu primeiro casamento e um de seu segundo casamento.

    Leia tudo sobre: internacional

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG