Nova York, 23 out (EFE).- O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, conseguiu hoje sinal verde do Conselho Municipal para se candidatar nas próximas eleições em busca do que seria seu terceiro mandato, uma possibilidade até agora proibida pela legislação nova-iorquina.

O Conselho Municipal aprovou hoje, por 29 votos a favor frente a 22 contra, a extensão do limite atual que estabelecia que nenhum prefeito ou funcionário público poderia permanecer em seu cargo por mais de dois mandatos seguidos.

"Hoje a maioria do Conselho decidiu dar ao povo de Nova York mais opções nas eleições de novembro de 2009. Acho que foi a decisão correta", assegurou Bloomberg, por escrito, ao saber o resultado da votação.

Do lado de fora da Prefeitura, várias pessoas protestaram contra a decisão, que poderia gerar protestos legais, já que se trata de uma possibilidade sobre a qual os cidadãos já tinham sido consultados em duas ocasiões (1993 e 1996), sempre com rejeição.

"Agora temos que avançar nas importantes decisões que temos que enfrentar e especialmente em encontrar vias para suavizar os efeitos das turbulências econômicas e equilibrar nosso orçamento perante a queda da receita", disse Bloomberg.

Antes da realização da votação final, os membros do Conselho rejeitaram por 28 votos a 22 uma proposta que pretendia impedir que a decisão fosse tomada na Prefeitura e submeter o caso a plebiscito.

Nova York tem mais de oito milhões de habitantes divididos em cinco distritos municipais: Staten Island, Manhattan, Bronx, Brooklyn e Queens.

Entre os cidadãos as opiniões estavam muito divididas, como refletia a última enquete da Universidade de Quinnipiac, que apontava que 51% dos nova-iorquinos se opunham à extensão do mandato, enquanto 45% estavam de acordo.

Em conjunto, 89% dos nova-iorquinos achavam que o assunto deveria ser submetido a referendo, embora 75% aprovem seu trabalho. EFE mgl/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.