Bloomberg adverte contra a campanha que diz que Obama é um muçulmano camuflado

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, advertiu nesta sexta-feira à comunidade judia dos Estados Unidos contra uma campanha de desinformação que apresentaria o candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, de confissão católica, como um muçulmano camuflado.

AFP |

"Há vários correios eletrônicos correndo a internet e dirigidos aos eleitores judeus dizendo que o senador Obama é secretamente um muçulmano e um radical", afirmou Bloomberg numa reunião com a coletividad judia de South Palm Beach (Flórida).

"Vamos chamar esses rumores por seu nome: mentiras", afirmou Bloomberg. "Israel está sendo como um instrumento, o que não é de surpreender, porque existem pessoas capazes de rebaixar ao nível que for para ganhar uma eleição", acrescentou.

"Esses demagogos esperam explorar as diferenças políticas entre judeus e muçulmanos para gerar temor e desconfiança. Isso é uma política destinada a dividir, e temos que rejeitá-la clara, aberta e inequivocamente".

"Nesta eleição devemos todos nos levantar contra esta campanha de rumores contra o senador Obama porque ameaçam afetar os enormes avanços que os judeus e muçulmanos conseguiram neste país e os enormes avanços que judeus e afro-americanos alcançaram juntos".

Bloomberg, de confissão judia, é um ex-democrata que aderiu ao Partido Republicano, mas em 2007 se declarou independente. Barack Hussein Obama é católico e alguns membros do lado paterno de sua família, oriunda do Quênia, são muçulmanos.

ltl/ml/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG