Blair pede que UE se envolva mais no Oriente Médio através da UPM

Bruxelas, 22 jul (EFE).- O enviado especial do quarteto para o Oriente Médio, Tony Blair, afirmou hoje que a União Européia (UE) deve conseguir um envolvimento mais forte como mediadora no conflito através da União pelo Mediterrâneo (UPM).

EFE |

Blair disse que a Cúpula da União pelo Mediterrâneo organizada em Paris em meados deste mês "funcionou extremamente bem", e situou a UE em uma posição "mais influente, do lado dos Estados Unidos e também do lado palestino e israelense".

"A UE tem agora uma posição muito mais forte, pois encontrou uma voz comum e porque tem grandes vínculos com o povo palestino e desempenhará um papel que não é apenas econômico e social", declarou o ex-primeiro-ministro do Reino Unido.

Segundo ele, a UE "agora tem também a capacidade de oferecer grande apoio em questão de segurança e em termos políticos", afirmou.

Blair se mostrou "otimista" sobre a possibilidade de alcançar um acordo de paz antes do final do ano e disse que, "apesar de as dificuldades serem importantes, é possível superá-las".

O ex-primeiro-ministro do Reino Unido acrescentou que o acordo, além de ser "teórico", há de ser modelado em "termos reais".

"Não há alternativa" à criação de um Estado palestino, "seja antes do final deste ano ou mais tarde", declarou Blair. EFE ahg/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG