Blair diz que é preciso incorporar Hamas ao processo de paz

Londres, 31 jan (EFE).- O ex-primeiro-ministro britânico e enviado especial do Quarteto para o Oriente Médio, Tony Blair, acredita que chegou a hora de incorporar o grupo Hamas, que controla a Faixa de Gaza e deu iniciou ao conflito que deixou mais de 1.

EFE |

400 mortos ao atacar Israel, ao processo de paz entre palestinos e israelenses.

"Penso que é importante encontrarmos a maneira de incluir o Hamas neste processo, embora isso só possa ser feito se ele se dispuser a fazê-lo nos termos corretos", afirma Blair em entrevista publicada hoje pelo jornal inglês"The Times".

No entanto, o ex-primeiro-ministro do Reino Unido advertiu que, "se fizerem as coisas da forma equivocada, isso pode desestabilizar as próprias pessoas na Palestina que trabalham pela causa moderada".

Blair considera que "a estratégia do Ocidente de marginalizar Gaza e encorajar a fundação de um Estado palestino na Cisjordânia, governado pela Autoridade Nacional Palestina (ANP), nunca funcionará".

Indiretamente, o representante do Quarteto -formado por EUA, ONU, UE e Rússia- critica o enfoque do Governo do ex-presidente americano George W. Bush, que concentrou seus esforços na paz e reconstrução da Cisjordânia: "Isso era só a metade do que necessitávamos".

Blair defende, porém, a postura do Quarteto, de que não pode haver negociações com o Hamas a menos que ele renuncie à violência e reconheça o Estado de Israel.

O Hamas controla Gaza desde junho de 2007, quando tomou-a pela forças das armas da Autoridade Nacional Palestina (ANP), sob Presidência do grupo rival Fatah, e passou a atacar Israel antes mesmo do fim do cessar-fogo, em dezembro, provocando a reação israelense que deixou mais de 1.400 mortos na faixa. EFE pa/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG