Assunção, 3 nov (EFE) - Os bispos católicos do Paraguai consideraram hoje que o Governo deve impulsionar de forma urgente uma reforma agrária perante o aumento das ameaças de invasões de fazendas no departamento de San Pedro, no centro do país.

O secretário-geral da Conferência Episcopal Paraguaia (CEP), Adalberto Martínez, disse hoje em entrevista coletiva que o campesinato paraguaio deseja fazer parte de um processo de reforma agrária no país para que exista uma distribuição equitativa da terra.

Em San Pedro, vários grupos de sem-terra permanecem acampados há semanas diante das fazendas dos produtores de soja mecanizada, principalmente de brasileiros, para exigir uma reforma agrária.

O clérigo considerou ainda que uma política rural eficiente poderia "acalmar os ânimos" e poderia dar uma saída a eventuais surtos de violência no campo.

Os sem-terra, que estão mobilizados desde a posse do presidente Fernando Lugo, em 15 de agosto, denunciam que muitas propriedades foram compradas ou arrendadas ilegalmente por colonos brasileiros e que as plantações mecanizadas como a da soja destroem as florestas e poluem o meio ambiente.

O secretário-geral da CEP afirmou que o Governo teria que fazer uma consulta com os diferentes setores agrários do país para pactuar um plano de reforma agrária. EFE rg/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.