Mais de 200 bispos católicos pediram nesta sexta-feira que líderes católicos corruptos da África se arrependam ou renunciem aos cargos. Muitos católicos que estão em cargos importantes ficaram aquém em seus desempenhos.

O sínodo pede que essas pessoas se arrependam ou deixem a arena pública e parem de causar danos ao povo e de transmitirem uma imagem ruim da Igreja Católica", diz o comunicado divulgado pelos bispos .

Eles afirmaram ainda que a África precisa de "santos" que possam "limpar o continente da corrupção e trabalhar pelo bem do povo".

O sínodo de três semanas será encerrado neste domingo.

'Conivência'
Além do alerta aos líderes corruptos dos países africanos, os bispos ainda acusaram líderes não-católicos e empresas multinacionais de causarem danos ao ambiente e explorarem os recursos naturais do continente.

"As multinacionais precisam parar com a devastação criminosa do ambiente e com a exploração gananciosa dos recursos naturais", afirma o texto.

Segundo os bispos, apesar da responsabilidade das empresas e interesses estrangeiros, "há sempre a vergonhosa e trágica conivência dos líderes locais".

O correspondente da BBC em Roma David Willey afirmou que a mensagem de 12 páginas divulgada pelos bispos, foi extraordinariamente forte.De acordo com ele, os bispos não citaram nomes, mas que o líder do Zimbábue, Robert Mugabe, e o presidente angolano, Eduardo dos Santos, são dois líderes católicos proeminentes acusados de corrupção.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.