Londres, 6 jul (EFE).- Vários bispos anglicanos se reuniram com assessores do papa Bento XVI em uma tentativa de estreitar os vínculos com a Igreja Católica, diante da crise enfrentada pelo anglicanismo surgida com a ordenação de mulheres bispas e de sacerdotes homossexuais, destaca hoje o jornal The Sunday Telegraph.

A Igreja Anglicana não quis comentar sobre o suposto diálogo, e um porta-voz se limitou a dizer que essa informação é "uma das muitas histórias que aparecem na internet e na (imprensa) escrita", e acrescentou que o Sínodo Geral é quem deve decidir os próximos passos.

Esta informação coincide com a reunião realizada em York, no norte da Inglaterra, pelo Sínodo Geral da Igreja Anglicana desde sexta-feira e que se estenderá até terça-feira.

Segundo o "Sunday Telegraph", o arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, não sabia do diálogo com o Vaticano, mas essas conversas representam um golpe para o primaz anglicano, que tenta evitar uma grande divisão dentro da igreja.

Vários bispos anglicanos conservadores manifestaram preocupação com a direção liberal que a Igreja Anglicana está tomando e expressaram seu temor quanto ao futuro.

Estes bispos, acrescenta o "Sunday Telegraph", se reuniram com membros da Congregação para a Doutrina da Fé, uma das áreas mais influentes do Vaticano.

A publicação acrescenta que os bispos pediram que seus nomes não fossem revelados, pois se tratam de conversas muito delicadas.

O Sínodo Geral espera votar amanhã se decide autorizar a ordenação de mulheres bispas.

Uma carta enviada por três bispos anglicanos ao arcebispo de Canterbury evidencia a insatisfação com a possibilidade de mulheres serem ordenadas bispas.

"Está claro que a ordenação de mulheres como bispas pode dividir a Igreja Anglicana muito mais do que a ordenação de mulheres como sacerdotisas", diz a carta, citada pelo "Sunday Telegraph".

Além disso, o anglicanismo vem debatendo o homossexualismo desde que a Igreja Episcopal dos Estados Unidos ordenou em 2004 Gene Robinson, o primeiro bispo declaradamente homossexual. EFE vg/wr/am

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.