Bispo Williamson planejava deixar Argentina antes de ser expulso

Buenos Aires, 19 fev (EFE).- O bispo católico britânico Richard Williamson, que negou a existência do Holocausto judeu, já planejava deixar a Argentina ante de ser expulso pelo Governo, afirmou à Agência Efe Christian Bouchacourt, superior para a América do Sul da Fraternidade São Pio X, à qual ele pertence.

EFE |

"Vai acontecer o que já estava previsto: ele sair do país, como já pretendia. Tem dez dias para fazê-lo e é evidente que mudará de país", disse Bouchacourt, que não especificou qual será o novo destino de Williamson.

O Governo da Argentina ameaçou hoje expulsar Williamson, por negar o Holocausto, , caso não o abandone por conta própria em dez dias.

Por determinação do ministro do Interior, Florencio Randazzo, a Direção Nacional de Migrações da Argentina "ordena Richard Nelson Williamson a deixar do país no prazo de dez dias, sob advertência de ter decretada sua expulsão", disse o Governo em comunicado.

As autoridades argentinas alegaram que o bispo ultraconservador "fraudou reiteradamente o verdadeiro motivo de sua permanência no país".

Segundo o Ministério do Interior da Argentina, Williamson declarou "ser um empregado administrativo da Associação Civil 'La Tradición', quando sua verdadeira atividade era a de sacerdote e diretor do Seminário que a Fraternidade São Pio X possui na cidade de Moreno", nos arredores de Buenos Aires. EFE nk/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG