Bispo negacionista pede perdão ao Papa por sua imprudência

O bispo tradicionalista Richard Williamson, que negou a existência das câmaras de gás, lamentou nesta sexta-feira os sofrimentos que causou ao Papa Bento XVI por suas observações imprudentes, em carta publicada em seu site.

AFP |

Monsenhor Williamson endereçou a carta ao cardeal Dario Castrillon Hoyos, o prelado encarregado das negociações com os católicos da Fraternidade São Pio X (FSSPX).

Lembra, sem citá-las, suas "observações imprudentes" feitas à televisão sueca e expressa ao cardeal Castrillon Hoyos "sinceros arrependimentos por ter causado ao senhor mesmo e ao Santo Padre tantos sofrimentos e penas inúteis".

A televisão sueca divulgou as declarações negacionistas de Richard Williamson no dia 22 de janeiro, dois dias antes do anúncio, pelo Vaticano, do levantamento, por Bento XVI da excomunhão de quatro bispos da FSSPX, incluindo ele próprio, Williamson.

O bispo afirmou na ocasião que "não existiram as câmaras de gás na Alemanha nazista" e que só morreram "200.000 a 300.000 judeus" e não os seis milhões que se calcula.

As declarações do bispo ultraconservador Richard Williamson sobre o holocausto nazista, "perturbaram o Papa e a Igreja católica", admitiu na quarta-feira o secretário de Estado do Vaticano, Tarcisio Bertone.

O assunto levantou uma onda de indignação entre associações judaicas e católicas.

Logo em seguida, o Papa Bento XVI condenou com firmeza o negacionismo.

nou/ljm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG