Bispo irlandês acusado de encobrir escândalo de pedofilia renuncia

O Papa Bento XVI aceitou a renúncia do bispo irlandês de Limerick, Donal Murray, acusado de ter mantido uma conduta imperdoável ao encobrir as denúncias de abusos sexuais contra meninos cometidas por pardres católicos, informou nesta quinta-feira o Vaticano.

AFP |

Segundo relatório de uma investigação oficial publicado em novembro, a Igreja Católica da Irlanda encobriu os abusos sexuais cometidos por padres da região de Dublin envolvendo centenas de crianças durante várias décadas.

O documento, de mais de 700 páginas, fala sobre a atitude da hierarquia católica no arcebispado de Dublin entre os anos 1975 a 2004. Acusa, principalmente, quatro arcebispos por não terem denunciado à Gardai (polícia) que sabiam dos abusos sexuais, cometidos a partir dos anos 60.

O arcebispo de Dublin, Diarmuid Martin, pediu desculpas na ocasião e expressou pesar e vergonha pelo encobrimento dos abusos sexuais contra crianças em suas arquidioceses.

Em 11 de dezembro passado, o Papa Bento XVI se reuniu com as maiores autoridades da Igreja Católica irlandesa para avaliar o caso e condenou tais "crimes abmináveis" e prometeu tomar medidas pertinentes.

A nota do Vaticano, no entanto, não precisa as razões da renúncia.

Segundo as vítimas desses abusos, a investigação sobre os abusos sexuais cometidos contra crianças pelos padres católicos na Irlanda deveria ser ampliada para todo o país.

ab-/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG