Birmânia e Camboja impedem dois ativistas de assistir reunião da Asean

A Birmânia e o Camboja impediram dois ativistas pró direitos humanos de participar da reunião deste sábado de dirigentes dos 10 países da Associação das Nações do Sudeste da Ásia (Asean), que está sendo realizada paralelamente à Cúpula de Hua Hin (Tailândia), denunciou uma ONG.

AFP |

O primeiro-ministro da Birmânia, o general Thein Sein, e seu colega cambojano, Hun Sen, ameaçaram boicotar a reunião de representantes da sociedade civil se estes dois ativistas de seus próprios países estivessem presentes na reunião, declarou Yap Swee Seng, diretor do Asia Forum for Human Rights and Development.

"Estamos realmente decepcionados e lamentamos tal decisão", que se refere a Khin Omar, militante democrata que defende os direitos das mulheres na Birmânia, e Pen Somony, coordenador de um programa de voluntários da sociedade civil mo Camboja, denunciou à AFP.

Os chefes de Estado e Governo dos países da Asean participam desde à noite de sexta-feira de uma cúpula na estação balneária de Hua Hin, a 180 km a norte de Bangcoc, centrada nas consequências da crise econômica na região.

mba-dk/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG