Bird elogia que a crise dos alimentos esteja na ordem do dia do G8

O presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, elogiou nesta segunda-feira a vontade do primeiro-ministro japonês Yasuo Fukuda de fazer figurar a crise dos alimentos na ordem do dia da próxima cúpula do G8, em julho.

AFP |

"Acolho com satisfação a intenção do primeiro-ministro Fukuda de colocar firmemente a crise alimentar na ordem do dia da cúpula", declarou Zoellick, citado em um comunicado.

O Japão preside este ano o G8 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália, Japão e Rússia), cujos chefes de Estado e de Governo devem se reunir em julho na ilha de Hokkaido.

Para contra-atacar a disparada dos preços dos produtos agrícolas, que ameaça a estabilidade dos países pobres, o Banco Mundial convocou um esforço concertado e em escala internacional em sua assembléia de 12 e 13 de abril em Washington.

A duplicação dos preços dos alimentos nos últimos três anos ameaça com submergir mais profundamente na pobreza quase 100 milhões de africanos de baixos rendimentos, afirma o Banco Mundial, que propôs a implementação de uma política tão ambiciosa como o "New Deal" do presidente Franklin Delano Roosevelte depois da crise de 1929.

dd/fga/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG