Bin Laden teria utilizado uma de suas mulheres como escudo humano

Suposta esposa de número 1 da Al-Qaeda morreu em operação das forças americanas que matou líder terrorista no Paquistão

iG São Paulo |

Uma mulher que acredita-se ser uma das esposas de Osama Bin Laden foi usada como escudo humano pelo líder da Al-Qaeda durante operação das forças americanas que mataram o saudita.

“Havia família no local e uma mulher que, de fato, estava na linha de fogo e estava sendo usada como escudo humano para proteger Bin Laden dos ataques”, disse John Brennan, assessor de Obama para segurança interna e contraterrorismo.

Brennan deu mais detalhes sobre a operação que levou à morte do homem acusado de ser o principal mentor dos atentados de 11 de setembro de 2001 – que mataram cerca de 3 mil pessoas no World Trade Center, em Nova York, e no Pentágono, em Washington. O assessor afirmou que a suposta esposa de Bin Laden acabou morta na ação. Segundo Brennan, porém, não está claro se ela se colocou na linha de fogo por conta própria ou se foi mantida à força por Bin Laden.

Dúvidas

De acordo com Brennan, as forças americanas estavam prontas para capturar o líder da Al-Qaeda vivo, se fosse possível. “Se nós tivéssemos a oportunidade de pegar Bin Laden vivo, se ele não apresentasse qualquer ameaça, os indivíduos envolvidos (na operação) estavam aptos e preparados para fazer isso”, disse Brennan.

Segundo o assessor, isso não foi possível porque Bin Laden resistiu à captura e foi morto com um tiro na cabeça, após tiroteio com as forças americanas.

A morte de Bin Laden foi anunciada pelo presidente Barack Obama na noite de domingo, em discurso transmitido pela TV. Ele contou que o líder da Al-Qaeda havia morrido em uma operação das forças americanas na cidade paquistanesa de Abbottabad, ao norte de Islamabad, capital Islamabad.

Brennan disse também que a Casa Branca fará “todo o possível” para evitar que a morte do extremista seja colocada em dúvida. “Nós vamos fazer tudo o que pudermos para garantir que ninguém tenha qualquer base para negar que nós capturamos Osama Bin Laden”, disse.

No entanto, Brennan disse que o governo americano ainda não decidiu se vai ou não revelar provas fotográficas de que Bin Laden está morto. O assessor afirmou que o governo não quer colocar em risco operações futuras do tipo. “Não queremos fazer nada que possa comprometer nossa capacidade de ser tão bem-sucedidos na próxima vez que capturarmos um desses caras”, disse.

    Leia tudo sobre: bin ladeneuaterrorismoafeganistãopaquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG