Cairo, 18 mai (EFE) - O líder da rede terrorista Al Qaeda, Osama bin Laden, fez hoje através da internet um apelo aos militantes muçulmanos no Egito para que ajudem a romper o bloqueio da Faixa de Gaza imposto por Israel.

Em mensagem de áudio disponibilizada em um site da rede terrorista, Bin Laden diz aos muçulmanos do Egito, único país que tem fronteira com a Faixa de Gaza, que "devem romper o bloqueio".

Na mensagem, Bin Laden qualifica também os líderes árabes de "agentes dos cruzados" e os acusa de sacrificar os palestinos.

Ele acrescenta que a única maneira de libertar os palestinos é lutar contra os regimes árabes que protegem Israel.

Este último anúncio de Bin Laden foi feito apenas dois dias depois que o líder da Al Qaeda prometeu manter sua luta contra Israel, por ocasião do 60º aniversário de fundação do Estado judeu.

"Continuaremos, se Deus quiser, lutando contra os israelenses e seus aliados, e contra a injustiça, e não abandonaremos nem uma só polegada da terra da Palestina enquanto houver um único muçulmano honesto sobre a superfície da terra", disse.

No entanto, representantes palestinos rejeitaram tais declarações sobre a Palestina e afirmaram que Bin Laden não representa os palestinos, nem os árabes nem os muçulmanos.

Na mensagem de hoje, o líder terrorista atacou também o secretário-geral do grupo xiita libanês Hisbolá, Hassan Nasrallah, por permitir que as forças de segurança das Nações Unidas no sul do Líbano "protejam os judeus". EFE cd/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.