Bill Clinton quebra o silêncio e anuncia apoio à candidatura de Obama

Denver (EUA), 27 ago (EFE).- O ex-presidente americano Bill Clinton deu hoje seu apoio a Barack Obama, o candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, e se comprometeu a fazer o possível para que o também senador por Illinois ganhe as eleições de novembro.

EFE |

"Barack Obama está preparado para liderar os Estados Unidos e restaurar a liderança do país no mundo. Barack Obama está pronto para ser presidente dos Estados Unidos", afirmou Clinton, aplaudido pelos mais de 20.000 democratas reunidos no evento.

Em sua primeira manifestação pública a favor da candidatura de Obama, o ex-chefe de Estado, que pôs de pé todos os presentes na convenção democrata, lamentou o fato de sua mulher, Hillary Clinton, não ter ganho as primárias do partido.

Mas, mesmo assim, pediu a todos os eleitores da ex-primeira-dama que votem em Obama em novembro.

"Ontem, Hillary disse a vocês, de uma maneira inequívoca, que fará o possível para que Obama saia eleito em novembro. Este compromisso é dos dois", disse o ex-presidente, que governou os Estados Unidos de 1993 a 2001.

Fazendo uso da hábil oratória e do senso de humor que o caracterizam, Clinton se referiu à dura batalha protagonizada entre Hillary e Obama, que foi de tal intensidade que "o calor que gerou fez aumentar o aquecimento global".

"No fim, minha candidata não ganhou, mas estou muito orgulhoso da campanha que realizou", disse o ex-governante, cuja imagem durante as primárias se desgastou em razão das trocas de acusações com a campanha de Obama.

O discurso de Clinton, que falou na presença da mulher, da filha, Chelsea, e da esposa de Obama, Michelle, não foi programado nem para o principal dia nem para a melhor hora dos atos previstos na convenção.

Mas, ainda assim, a recepção ao ex-presidente foi tão intensa quanto a que Hillary recebeu ontem.

Em seu pronunciamento, Clinton afirmou que Obama pode vencer as eleições de novembro, assim como ele fez em 1992.

"Os republicanos diziam que eu era muito jovem e inexperiente para ser o comandante-em-chefe (da nação). Isso lhes soa familiar? Não funcionou em 1992, e não funcionará agora, porque Barack Obama está no lado certo da história", disse.

"Obama nos conduzirá para longe da divisão e do medo dos últimos oito anos, e nos devolverá a unidade e a esperança", acrescentou.

Quanto à política externa e de segurança, tema central da jornada de hoje, Clinton disse que Obama "lutará para que os Estados Unidos tenham mais aliados e menos adversários".

"E, o que é mais importante, Barack Obama sabe que os Estados Unidos não podem ser fortes fora, a menos que sejam fortes dentro. O mundo deveria estar mais impressionado pelo poder de nosso exemplo do que pelo exemplo de nosso poder".

O ex-presidente criticou o mau exemplo dado pelos republicanos nos últimos oito anos, tanto em matéria de política externa como na economia, pois perderam o superávit orçamentário que herdaram, provocaram a queda da produtividade e fizeram aumentar o desemprego e a pobreza.

"E agora querem que lhes recompensemos com um terceiro mandato", disse Clinton. EFE pgp/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG