Bill Clinton dispõe-se a ajudar Hillary a obter cargo no governo

WASHINGTON - O ex-presidente norte-americano Bill Clinton permitiu que sejam feitas avaliações sobre futuros negócios e atividades filantrópicas dele caso sua mulher seja escolhida pelo presidente eleito dos EUA, Barack Obama, como próxima secretária de Estado, afirmaram nesta quarta-feira democratas familiares à questão.

Reuters |

O ex-presidente tenta dirimir a possibilidade de suas atividades filantrópicas e empresariais gerarem uma imagem de conflito de interesses caso a mulher Hillary Clinton venha a ser escolhida para ocupar o principal cargo da diplomacia norte-americana.

"Ele está ajudando, sem dúvida. Ele não representa um obstáculo de forma nenhuma", afirmou um democrata próximo das deliberações a respeito.

Obama reuniu-se com a ex-adversária de partido na quinta-feira passada para falar sobre o posto de secretária de Estado. O encontro inicialmente secreto logo virou notícia.

Hillary, derrotada por Obama na dura batalha das prévias democratas travada no começo deste ano, estaria, segundo um assessor, dividida entre assumir o comando do Departamento do Estado e continuar em seu cargo de senadora.

"Isso é verdade. A questão é saber onde ela poderia ser mais eficiente", disse o assessor da senadora.

A equipe de transição de Obama estaria avaliando as atividades realizadas por Bill Clinton após deixar a Casa Branca a fim de saber se as empreitadas filantrópicas e comerciais dele representariam um conflito de interesse no caso de sua mulher ser escolhida para o cargo.

Clinton amealhou uma fortuna após deixar a Presidência, no começo de 2001, e teria agora um patrimônio calculado em cerca de 100 milhões de dólares, grande parte dele resultante da venda de livros e da realização de palestras.

O ex-presidente levantou milhões de dólares para sua biblioteca presidencial e para sua fundação, com doações que vieram também de alguns governos e cidadãos de outros países.

Os democratas familiarizados com a questão confirmaram uma reportagem do The Wall Street Journal dando conta de que Clinton havia concordado com divulgar os nomes de todos os doadores futuros e de todos os grandes doadores do passado.

O ex-presidente ainda obteria um certificado de idoneidade do conselho da Casa Branca e da agência de ética do Departamento de Estado para todas as doações recebidas pela Fundação William J. Clinton, disseram.

A fundação é usada no combate à Aids, à malária e ao aquecimento global. Ainda não se sabe se Obama oferecerá de fato um cargo a Hillary no próximo governo.

Após vencer as prévias, o hoje presidente eleito descartou a senadora e escolheu no lugar dela o senador Joe Biden como seu candidato a vice, uma decisão que desagradou aos maiores simpatizantes de Hillary e que ampliou as desavenças dentro do partido em meio a esforços dos dois ex-rivais para saná-las.

Em vista da enxurrada de novas reportagens a respeito de Hillary ser ou não escolhida para o Departamento de Estado, alguns simpatizantes dela afirmaram ter chegado a hora de Obama esclarecer a situação.

"Isso pode se transformar em uma situação bastante difícil para Obama e ele precisa esclarecer isso rapidamente", afirmou uma autoridade do Partido Democrata.

Leia mais sobre Bill Clinton

    Leia tudo sobre: bill clinton

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG