Nações Unidas, 23 out (EFE).- O ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton advertiu hoje que a atual crise financeira não pode ser uma desculpa para que os países mais desenvolvidos se esqueçam de seu compromisso de ajudar os cidadãos mais pobres do mundo.

"É muito importante que os países ricos, as pessoas ricas e as grandes empresas, por mais que sofram com a crise, não a utilizem como desculpa para se esquecer de outros assuntos", disse o ex-presidente em discurso no Conselho Econômico e Social da ONU.

Clinton foi o convidado de honra no ato realizado na sede das Nações Unidas em Nova York, em ocasião do Dia Mundial da Alimentação.

O evento também contou com a presença do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, do diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), Jacques Diouf, e do presidente da Assembléia Geral, Miguel D'Decoto.

No discurso, o ex-governante americano destacou que cumprir os compromissos de ajuda ao desenvolvimento "ajudará a evitar outra crise financeira".

"A crise alimentícia, a crise dos combustíveis e a crise financeira mostram o quão interdependente é o mundo em que vivemos e que uns não podem escapar do destino dos outros", frisou.

Bill Clinton se tornou um dos principais filantropos internacionais desde que deixou, há sete anos, a Casa Branca.

A Iniciativa Global Clinton, fundada por ele em 2005, promoveu desde sua criação cerca de mil "compromissos de ações" para melhorar a vida de 200 milhões de pessoas em mais de 100 países, segundo a organização. EFE jju/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.