Biden reitera apoio dos EUA à Geórgia e cobra retirada russa

TBILISI - O vice-presidente dos EUA, Joe Biden, prometeu manter o apoio de seu país à Geórgia, um ano depois da guerra com a Rússia, e pediu a Moscou que respeite o cessar-fogo e retire suas tropas de duas regiões separatistas.

Reuters |


Mas, abandonando o apoio acrítico oferecido a Tbilisi pelo ex-presidente George W. Bush, Biden salpicou seus comentários com críticas à situação da democracia e da liberdade de imprensa nesta ex-república soviética.

"Nós nos Estados Unidos estamos com vocês na sua jornada rumo a uma Geórgia segura, livre, democrática e novamente unida", disse Biden em um emotivo discurso ao Parlamento georgiano.

O vice de Barack Obama lembrou-se do ruído da artilharia que ouviu durante a guerra do ano passado, quando se sentou no alto de um prédio ao lado do presidente Mikheil Saakashvili.

"Sei que há alguma preocupação, e a entendo, de que os nossos esforços para relançar as relações com a Rússia ocorram à custa da Geórgia. Deixem-me ser claro: não (ocorreram à custa da Geórgia), não irão e nem podem", disse ele.

Biden também pediu que o mundo não siga o exemplo russo de reconhecer a Abkházia e a Ossétia do Sul como países independentes, mas afirmou aos parlamentares georgianos que não existe uma "opção militar" para recuperar as duas regiões.

Leia mais sobre Afeganistão

    Leia tudo sobre: georgiajoe bidenrússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG