Biden pede reformas na Bósnia e alerta sobre nacionalismo

Sarajevo, 19 mai (EFE).- O vice-presidente dos Estados Unidos, Joseph Biden, pediu hoje aos líderes políticos bósnios que sigam o caminho com vistas à União Europeia (UE) e advertiu sobre o aumento da retórica nacionalista no país, que enfrentou uma difícil guerra civil entre 1992 e 1995.

EFE |

"Estamos preocupados com o futuro de seu país, pela direção em que se encaminha, por seu futuro e o futuro de seus filhos", disse Biden ao dirigir-se hoje em Sarajevo aos deputados do Parlamento central do país, comum de muçulmanos, sérvios e croatas.

Segundo ele, nos últimos três anos há no país "um aumento grave e perigoso da retórica nacionalista", que desacelera os progressos, e que houve tentativas "de voltar atrás nas reformas".

"Nós estamos cansados. Quando se cansarão dessa retórica?", questionou Biden, que iniciou hoje na capital bósnia uma viagem balcânica que o levará também a Sérvia e Kosovo.

"Isso deve parar", advertiu o vice-presidente.

Biden pediu que sejam reforçadas as instituições estatais para "que possam enfrentar os desafios do século XXI e progredir para a entrada na UE e na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan)", e advertiu contra as vozes que se opõem às reformas, ao compromisso e à cooperação.

O vice de Barack Obama pediu que a Bósnia-Herzegovina se dirija ao mundo "como um país único, soberano", sem colocar em conflito as entidades que formam esse Estado.

A Bósnia é composta por duas entidades política independentes, mas também tem instituições de poder centrais - muçulmanos, sérvios e croatas -, porém frágeis e sem eficácia ainda 14 anos depois da guerra. As divisões étnicas persistem e jogam certa instabilidade no país.

Biden declarou que o Governo americano reforçará seu apoio à Europa, e nesse contexto à região dos Bálcãs e à Bósnia.

Antes de se dirigir aos deputados bósnios, o vice-presidente Biden se reuniu com a Presidência tripartite bósnia, a chefia colegiada de Estado integrada por um bósnio muçulmano, um bósnio-sérvio e um bósnio-croata.

Também conversou com o primeiro-ministro da Bósnia-Herzegovina, Nikola Spiric, e com o chefe do Governo autônomo da entidade servo-bósnia, Milorad Dodik.

Biden viajará amanhã a Belgrado para se reunir com as autoridades da Sérvia e concluirá sua viagem na quinta-feira, no Kosovo. EFE nh/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG