Biden diz que EUA querem impedir um Irã como potência nuclear

Washington, 5 mai (EFE).- O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse hoje que Washington está decidido a impedir que o Irã se transforme em uma potência nuclear e afirmou que o prazo para que o diálogo com Teerã renda frutos é limitado.

EFE |

"Estamos intensamente concentrados em impedir o grave risco de um Irã nuclear", afirmou Biden em discurso ao grupo de pressão pró-israelense Aipac na capital americana.

"Um Irã nuclear ameaça despertar uma corrida armamentista na região, o que faria com que cada país ficasse menos seguro", disse o vice-presidente americano.

Biden acrescentou que a estratégia para Teerã nos últimos anos "obviamente não funcionou", em referência à recusa do ex-presidente George W. Bush em abrir um diálogo com o Irã até que o país interrompesse seu programa nuclear.

"Desde 2000, o Irã produziu milhares de quilos de urânio enriquecido", insistiu Biden.

"Vamos almejar uma diplomacia com o Irã direta e baseada em princípios, com o objetivo primordial de prevenir que adquira armas nucleares", antecipou.

"Dada a situação que herdamos, sabemos que não temos um tempo ilimitado para fazer a avaliação" de como proceder no caso do Irã, explicou Biden, criticando o apoio de Teerã a organizações terroristas como o Hamas e o Hezbollah.

Além disso, o vice-presidente disse estar convencido de que o Irã usa o conflito entre israelenses e palestinos a seu favor.

Nesse sentido, a continuidade do conflito entre Israel e Palestina e Israel e o mundo árabe reforça a posição estratégica do Irã, disse Biden.

"O Irã ganha espaço para estender sua influência e inflamar a opinião pública", afirmou o vice-presidente, para insistir que essa é mais uma razão para pôr fim ao conflito. EFE tb/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG