Bruxelas, 10 mar (EFE).- O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, defendeu hoje que vale a pena tentar envolver os talibãs moderados na administração de um Afeganistão seguro e estável, e calculou que apenas 5% dos membros do grupo fundamentalista são irrecuperáveis para a reconciliação nacional.

"Só há um caminho (...), devemos buscar soluções pragmáticas para alcançar nossos objetivos", disse Biden, em entrevista coletiva, depois de se reunir com o Conselho do Atlântico Norte, principal órgão decisório da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), com cujos embaixadores compartilhou pontos de vista sobre a situação no país asiático.

Biden se referiu a dados oferecidos pelo enviado especial dos EUA ao Afeganistão e Paquistão, Richard Holbrooke, para garantir que só 5% dos talibãs podem ser considerados irrecuperáveis, de outros 25% se ignora seu grau real de convicção sobre a causa insurgente, e até 70% militam no movimento extremista por dinheiro.

Por este motivo, disse que "vale a pena explorar" a possibilidade de negociar com eles, mas "corresponde ao Governo afegão determinar quando, sem que represente uma desestabilização para eles", disse Biden.

O vice-presidente americano se referiu à entrada da minoria sunita no Governo do Iraque, e ressaltou que, com o tempo, ficou claro que "a ideia de que cada sunita insurgente pertencia à Al Qaeda simplesmente não era verdadeira".

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou recentemente que seu país não está ganhando a guerra no Afeganistão e que, por isso, considera estender a mão a elementos moderados dos talibãs no Afeganistão, assim como ocorreu com as milícias sunitas no Iraque. EFE met/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.