Vice-presidente dos Estados Unidos afirmou que Israel "tem o direito absoluto de lidar com seus interesses de segurança"

WASHINGTON (Reuters) - O vice-presidente norte-americano, Joe Biden, apoiou nesta quarta-feira o direito de Israel de interceptar navios com destino à Faixa de Gaza para evitar o contrabando de armas, mas disse que Washington permanecia preocupado com a situação dos palestinos na região.

Militares israelenses invadiram uma flotilha de seis navios que tentava romper o bloqueio naval de três anos imposto por Israel ao enclave palestino. Nove ativistas morreram na ação de segunda-feira e dezenas ficaram feridos, incluindo alguns dos militares.

Os Estados Unidos têm sido cautelosos na resposta ao ataque e não se juntaram à comunidade internacional na condenação do uso de força por parte de Israel para interceptar os barcos, depois que seus militares foram atacados ao descer de helicópteros nas embarcações.

"Israel tem o direito absoluto de lidar com seus interesses de segurança", disse Biden em entrevista ao programa "Charlie Rose". Ele reiterou o apoio do governo Obama para uma investigação transparente e imparcial do fato.

(Por Ross Colvin, com reportagem de Matt Spetalnick)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.