Bogotá - A ex-candidata à Presidência colombiana Ingrid Betancourt viajou hoje para Paris, ao lado de seus filhos, Mélanie e Lorenzo, de outros parentes e do chanceler francês, Bernard Kouchner.

Betancourt foi resgatada ontem com outros 14 reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em uma operação do Exército colombiano no sul do país.

A colombiana deve se encontrar amanhã com o presidente da França, Nicolas Sarkozy.

O avião do Governo francês, que na manhã de hoje levou Kouchner e os filhos da franco-colombiana até Bogotá, decolou da capital colombiana por volta das 19h40 (21h40 de Brasília), com destino a Paris.

Em Bogotá, Kouchnner entregou ao presidente colombiano, Álvaro Uribe, a felicitação de Sarkozy pela "Operação Xeque", como foi batizada a ação militar que permitiu o retorno para casa de Betancourt e mais 14 reféns.

O chanceler francês reiterou os apelos para que as Farc libertem os outros seqüestrados que mantêm em seu poder.

"Se as Farc respeitassem as convenções de Genebra e as convenções humanitárias, naturalmente não teriam por que estar na lista" de organizações terroristas, declarou o chefe da diplomacia francesa a jornalistas.

No mesmo avião que decolou em direção a Paris, também viajam a mãe da política, Yolanda Pulecio, seu atual marido, o publicitário Juan Carlos Lecompte, e seu ex, Fabrice Delloye, assim como sua irmã Astrid e dois sobrinhos.

Fontes diplomáticas disseram em Bogotá que o avião pousará no aeroporto parasiense de Charles de Gaulle e que, depois, Betancourt se reunirá com o presidente francês.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.