A ex-candidata presidencial libertada Ingrid Betancourt pediu há pouco ao comando das Farc respeito à vida dos rebeldes que vigiavam o grupo de 15 reféns resgatados pelo exército colombiano e que ficaram na selva.

"Os que ficaram lá, os guerrilheiros que eram nossos guardas foram deixados vivos, e Deus queira que continuem assim e que não sejam julgados pelas Farc", disse Betancourt.

No pronunciamento que fez no aeroporto militar Catam, em Bogotá, para onde Betancourt e outros 11 reféns foram transportados, a política afirmou que os guerrilheiros que os vigiavam "não têm culpa do que aconteceu".

"A operação foi perfeita. Peço a Deus que isto permita a todos os colombianos pensar que a paz é possível", acrescentou.

cop/hov/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.