Betancourt ficará em Paris para receber a Legião da Honra em 14 de julho

Paris, 6 jul (EFE).- A franco-colombiana Ingrid Betancourt, libertada após passar quase seis anos e meio sob poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), permanecerá em Paris para assistir à festa nacional de 14 de julho e receber a medalha da Legião de Honra francesa, informou hoje à Agência Efe Astrid Betancourt.

EFE |

A ex-candidata presidencial da Colômbia, de 46 anos, receberá no dia 14 a medalha da Legião de Honra, a mais alta distinção na França, das mãos do presidente francês, Nicolas Sarkozy, acrescentou a irmã da ex-refém.

Na ocasião, também estarão presentes os chefes de Estado e de Governo da União Européia, de Israel e do mundo árabe que assistirão em 13 de julho, em Paris, à cúpula da União pelo Mediterrâneo, e que foram convidados para a festa nacional.

Betancourt enviou hoje uma mensagem de esperança aos que continuam sob poder das Farc na selva, através do programa "As Vozes do Seqüestro" da colombiana "Caracol Rádio".

Na emissora, estavam 11 reféns colombianos que foram libertados na quarta-feira passada junto com Betancourt, em uma operação do Exército colombiano, aos quais foi anunciado que Sarkozy tinha aceitado conceder-lhes bolsas de estudos de estudos na França.

A "Radio France Internationale" ("RFI") convidou Betancourt para falar ao vivo amanhã ao meio-dia (7h de Brasília), através de sua antena em espanhol, aos reféns das Farc.

Desde dezembro do ano passado, os filhos de Ingrid Betancourt, Mélanie e Lorenzo, utilizavam essa emissora para enviar três vezes por semana mensagens à mãe no cativeiro.

Betancourt e sua família almoçaram hoje em um restaurante de Paris convidados pelo ex-primeiro-ministro francês Dominique de Villepin, que foi professor de Ciências Políticas da franco-colombiana e realizou durante estes anos várias gestões para a libertação, pelos quais a ex-refém agradeceu.

Desde sexta-feira passada, Betancourt está em Paris para agradecer os franceses pela mobilização por sua liberdade e fazer exames médicos, que descartou os temores de que podia ter uma doença grave.

Mais tarde, Betancourt e a família devem assistir a uma missa na Basílica de Sacré Coeur de Montmartre, um dos templos mais conhecidos de Paris. EFE ik/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG