Betancourt encontra diretor de rádio que ouvia na selva colombiana

Oviedo (Espanha), 24 out (EFE) - A franco-colombiana Ingrid Betancourt se encontrou hoje em Oviedo com o jornalista Herbin Hoyos Medina, diretor do programa de rádio Las voces del secuestro, que, há 14 anos, permite aos reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) ouvir na selva colombiana a voz de seus familiares.

EFE |

"Que bom que você veio", disse uma emocionada Betancourt ao responsável pela transmissão na qual sua mãe, Yolanda Pulecio, falava na madrugada de cada fim de semana para lhe pedir que resistisse ao seqüestro, que durou mais de seis anos.

Medina lembrou que, após ser libertada pelo Exército colombiano, Betancourt, que recebeu o Prêmio Príncipe de Astúrias da Concórdia, lhe confessou que, durante o cativeiro, pensou em se suicidar, mas nunca tentou "graças à voz que escutava de sua mãe" no programa.

O jornalista colombiano, que retransmitirá para seu país a cerimônia de entrega do prêmio através da "Radio Caracol", disse que a premiação a Betancourt deve servir para lembrar a todos os reféns da Colômbia que este prêmio "é para eles também".

"Este é um prêmio para a coragem e resistência" de Ingrid "e para os mais de quatro mil seqüestrados na Colômbia que se recusam a morrer na selva", ressaltou.

Medina se reuniu com Betancourt acompanhado pelo pai, Ángel García, presidente do grupo Mensageiros da Paz, com o qual prevê iniciar uma colaboração para iniciar uma experiência radiofônica similar no Iraque.

Segundo o jornalista, primeiramente será aberto um escritório neste país que comece a organizar o início da transmissão que requer, em primeiro lugar, convencer os seqüestradores a permitir que seus reféns disponham de um rádio. EFE rm/ab/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG