Betancourt diz que Sarkozy continuará administrando liberdade dos reféns

Bogotá, 6 jul (EFE).- A ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt, resgatada na quarta-feira passada junto com outros 14 reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), disse hoje que o presidente da França, Nicolas Sarkozy, continuará administrando a libertação dos outros seqüestrados.

EFE |

Betancourt fez a declaração em Paris ao programa "As Vozes do Seqüestro", da "Caracol Rádio", espaço que transmite todos os fins-de-semana mensagens dos parentes aos seqüestrados e que a própria ex-candidata disse que ouvia durante seu cativeiro.

A ex-candidata, que ficou mais de seis anos em poder das Farc, disse que Sarkozy ordenou a seus assessores "continuar lutando por todos os seqüestrados que continuam na selva".

"Estão à espera de continuar ajudando e de seguir fazendo o que for necessário para que todos os outros saiam", disse Betancourt, que viajou na quinta-feira à França, onde foi recebida por Sarkozy.

Acrescentou que o chefe de Estado francês ordenou a um assessor que retome os contatos com as Farc que aconteceram em meados de junho.

Betancourt foi libertada pelo Exército colombiano junto com os americanos Thomas Howes, Keith Stansell e Marc Gonsalves, e onze militares e policiais colombianos, em uma operação do Exército colombiano.

A franco-colombiana lembrou que a França, Espanha e Suíça formam o grupo de países amigos", aos quais o Governo colombiano autorizou a buscar aproximações com as Farc, em busca do acordo humanitário para a libertação dos reféns. EFE gta/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG