Betancourt diz que não sabe se vai se candidatar novamente à Presidência

Bogotá, 2 jul (EFE).- A colombiana Ingrid Betancourt, resgatada hoje pelo Exército após mais de seis anos seqüestrada pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), afirmou que só Deus sabe se ela se candidatará outra vez à Presidência da República.

EFE |

"Só Deus sabe se continuo com esperanças de servir à Colômbia na Presidência. Neste momento, só quero me sentir mais um soldado da Colômbia, a serviço da pátria", disse a ex-candidata presidencial em entrevista coletiva na base militar de Catam, em Bogotá.

Betancourt foi seqüestrada em fevereiro de 2002 em uma estrada do departamento de Caquetá, quando fazia campanha para a Presidência.

"Se me pergunta se queria ter sido presidente, graças a Deus não.

O presidente eleito foi (Álvaro) Uribe, e ele fez o tinha de fazer na Colômbia, como a desmilitarização dos paramilitares", afirmou.

A ex-candidata assinalou ainda que "a partir do momento em que se prolongou o mandato (reeleição) de Uribe, as Farc mudaram, porque não conseguiam respirar".

Para Betancourt, a reeleição de Uribe, que iniciou seu segundo mandato consecutivo de quatro anos em 2006, "é um dos golpes mais duros dados" nas Farc.

"Penso que as Farc tinham apostado durante muitos anos que poderiam respirar a cada mudança de Governo, porque voltavam a se fortalecer militarmente", assinalou.

"Como sempre havia a mudança entre um Governo linha dura e outro mais liberal, eles conseguiam se manter fortes militarmente", disse.

Betancourt foi resgatada hoje em um ponto das selvas do sudeste colombiano com outros 14 seqüestrados, entre eles três americanos, soldados e policiais. EFE rrm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG