Betancourt destaca apoio de Chávez e Correa, mas pede respeito à democracia

Bogotá, 2 jul (EFE).- A ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, libertada hoje após seis anos de seqüestro, destacou o apoio dos líderes da Venezuela, Hugo Chávez, e do Equador, Rafael Correa, para a obtenção da paz na Colômbia, mas ressaltou que as negociações devem ser feitas com respeito à democracia do país.

EFE |

Betancourt, que estava em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) desde 2002 e foi libertada hoje pelo Exército de seu país junto com outros 14 reféns, se referiu ao interesse expressado por ambos os governantes em torno do resgate dos reféns colombianos.

"Acho que o discurso de Chávez e de Rafael Correa é muito importante. Penso que são grandes aliados nesse processo, mas sob um condicionante que tem de ser o respeito à democracia colombiana", representada pelo presidente Álvaro Uribe, ressaltou a ex-seqüestrada.

"Os colombianos elegeram Álvaro Uribe, não elegeram as Farc", completou a ex-candidata presidencial, também de nacionalidade francesa e que insistiu que "a ajuda desses países (Venezuela e Equador) é importante, mas desde que seja respeitando a democracia colombiana".

O líder venezuelano ajudou a tramitar a libertação em janeiro e fevereiro últimos de seis políticos que estavam em poder das Farc.

Enquanto isso, Correa afirmou recentemente que fazia gestões unilaterais em favor de libertações de reféns, embora não tivesse o consentimento de seu colega colombiano, cujo Governo emitiu um protesto diplomático por tal pronunciamento. EFE gta/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG