Betancourt agradecerá apoio do papa pessoalmente

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - A ex-refém franco-colombiana das Farc Ingrid Betancourt vai visitar o papa Bento 16 na semana que vem para agradecer o apoio do Vaticano para que os sequestrados fossem libertados ao longo dos seis anos em que ela esteve no cativeiro. Betancourt, libertada em julho, vai ter um encontro particular com o papa em Castelgandolfo, sua residência de verão perto de Roma, no dia 1o de setembro, informou o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi.

Reuters |

'Ela é bastante grata pelo interesse e os apelos do papa durante o tempo em que ela foi refém, então, quando foi libertada, ela pediu uma oportunidade de encontrá-lo e agradecê-lo', disse.

O papa Bento 16 pediu várias vezes para os guerrilheiros colombianos libertarem todos os reféns, incluindo Betancourt, devota católica que disse ter rezado um terço todos os dias pedindo a liberdade.

Em fevereiro, cinco meses antes de sua libertação, o papa Bento 16 recebeu sua mãe, Yolanda Pulecio, no Vaticano. Ele também provavelmente discutiu a situação da refém com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, quando os dois se encontraram, em janeiro.

Betancourt vai se encontrar com autoridades italianas, incluindo o presidente Giorgio Napolitano, para agradecer o país pelo apoio durante seu sequestro.

Ela recebeu a cidadania honorária de três cidades italianas, incluindo Roma, enquanto era refém, e agora será condecorada pela cidade de Florença na próxima quarta-feira.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG