Besteiras de verão

Não que ele tenha dado as caras de todo. O verão.

BBC Brasil |

Brinca de esconde-esconde com a gente. Faz birra e beicinho, manda menos de 10ºC durante a noite, de dia beira os 18 com chuvas, trovoadas e garoas e toda uma série de variações úmidas, molhadas e encharcadas.

Impávida, indiferente ao tempo, a temporada de verão prossegue. Corrida de cavalinhos, aniversário oficial da rainha, visitas presidenciais, Wimbledon, festivais de tudo, gente comprando (e em casa usando) óleos de bronzear.

Os filmes blockbusters continuam a ser lançados como se todo mundo estivesse suando na fila esperando a vez de ver o Incrível Hulk encucando em favela do Rio. Os turistas de óculos escuros. Os corretores de imóveis locais também. Uma ou outra mocinha ensaia um decote mais ousado, nada mais provocando a não ser nuvens escuras no céu.

Faz verão. No calendário.

Com o verão, os cadernos especiais dos jornais, a venda a preços de arrasar (mesmo com a escassez e alta nos combustíveis) para as férias de julho em tudo quanto é parte, de Bratislava à sempre popular Nova York.

Os colunistas de leviandades, modas e celebridades, também bronzeados e de óculos escuros, dão seus conselhos e dicas para a festiva e estival estação.

(Taí. Não tinha percebido. Vai ver estio, estival, é isso que se passa no Reino Unido. Verão mesmo, dos bons, é com a gente, os australianos, nigerianos. Por aí. Ou por lá.)
Estivalizando
Um colunista de meu particular agrado chama-se A.A. Gill. Lembra-me a grande época dos escritores britânicos, que por recato, por bons modos, não ousavam dar os dois primeiros nomes a não ser aos mais íntimos.

D.H. Lawrence, T.S. Eliot, W.H. Auden, E.M. Forster e assim por diante. Para economizar na tinta, as duas iniciais geralmente vêm sem o pontinho no meio. DH, TS, WH, EM et cetera até chegar ao AA de que estava falando.

AA nada tem a ver com Alcoólatras Anônimos. Pelo contrário, ele é abstêmio total. Eu entrego logo o jogo e o homem: o nome dele todo é Adrian Anthony Gill.

Como é bom de pinta e pena, ainda moço, de boa família e é o feliz dono de um estilo danado de bom e engraçado, deve ter achado mais "tcham" (sim, sou vulgar e datado) adotar o nome profissional com duas iniciais espreitando o Gill que têm pela proa. Encurtando, vou passar a chamá-lo de Gill. Como, nestas ilhas, chamam aos meninos nos bons colégios.

Gill escreve sobre televisão no caderno de cultura do Sunday Times. Duas páginas em que pouco interessa o programa que examina, ou arrasa, sempre com graça e estilo de dar água na boca e fel no fígado de quem o inveja e que pratique, ou não, o jornalismo crítico.

Mais adiante, em outro caderno, o de variedades e frescuras, é crítico gastronômico. Também a mãos cheias, mas boca não, que isso é falta de educação. Mãos cheias e garfo e faca.

Não bastasse, Gill ainda escreve algumas páginas sobre modas e costumes, ou seja, o que lhe der na excelente cabeça. Outro dia escreveu sobre o que vai pegar ou não neste verão, inexistente até agora. Determinou o ilustre que a moda, pois tudo é moda, tudo é atitude, tudo é escolhido pelos outros, determinou então Gill que a "água vitaminada" é o que dará ibope nos meses até setembro.

(Por falar em moda: é como eles traduzem aqui o brasileirismo Fashion, feito em Fashion Rio, Fashion São Paulo, Fashion Caruaru)
Descobertas de Gill
Lá está: com surpresa meu bom jornalista descobriu que a nova jóia na coroa da Coca-Cola é - atenção - o açúcar. Vai longe a Coca, vai longe. Em compensação, Gill desmascara essa tramóia que são as águas de grife. Agora, chamadas de vitaminadas em vários sabores.

Os nutricionistas não se cansam de explicar que de nada adiantam. Custam uma nota, viram receptáculos poluidores, não melhoram em nada a vida, a saúde das pessoas. Basta ir na bica e tomar dois ou três copos por dia. O suficiente para não desidratar. Bebeu na rua ou na condução? Pau nele ou nela. Roubem-lhe o celular, que é para deixarem de ser bestas.

Voltando ao assunto do Gill. Ele denuncia a mais recente mania de Vitamin Water, que tudo indica será a coqueluche (cof! cof!) do verão vindouro, se é que ele vai vingar. Gill chegou àquele agradável ponto em que pode achar o que quiser daquilo que bem entender que é publicado sem retoques dos editores - e não adianta o pessoal da publicidade reclamar.

Tem a Multi-V Vitamin Water. Inclusive sabor chiclete de bola. Gill fez o dever de casa. Levou a água vitaminada para análise. Resultado: 23g de açúcar em cada garrafinha dessa belezoca. E a garotada se vitaminando. Melhor estariam mascando chiclete e fazendo bola. Melhor fariam, arrisco eu, puxando fumo ou cheirando cola. Sei lá. Quem sabe são os fabricantes. Os caras que engarrafam a embromação
Tem mais
Outras sacanagens que a indústria faz com a gente, sempre segundo Gill: iogurte que faz bem à pele. Essa é dura de engolir. O marshmallow, muito popular por aqui e nos EUA, que combate rugas. Balas e doces antioxidantes. Chocolate afrodisíaco. Picolé bom para o sistema de imunização. Café que retarda o processo de envelhecimento.

E por aí afora. Quem aí estiver por esse afora que se cuide. O mundo está de olho em vocês todos e quer, porque quer, vosso rico dinheirinho. Conto do vigário agora leva selo de aprovação das devidas autoridades.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG