Bernard Madoff admite culpa, se diz desolado e vai para a cadeia

O financista americano Bernard Madoff se declarou culpado nesta quinta-feira em um tribunal de Nova York das 11 acusações pronunciadas contra ele e a justiça ordenou sua prisão imediata até que a condenação seja pronunciada em 16 de junho.

AFP |

Pela primeira vez publicamente, o financista, acusado de um calorte de quase 50 bilhões de dólares, lamentou o que aconteceu durante a audiência, dizendo-se profundamente "arrependido e envergonhado".

"Como se declara?", perguntou o juiz a Bernard Madoff, que respondeu prontamente: "culpado". O procedimento de se declarar culpado evita que o caso seja levado a um júri popular.

Ele aparentava estar muito nervoso durante o interrogatório, pelo que o magistrado encarregado do processo pediu-lhe que falasse mais alto. Ele se declarou culpado principalmente de fraude, lavagem de dinheiro e roubo. "Você está se sentindo bem?" indagou o juiz. "Sim", respondeu.

"Senhor Madoff, diga-nos o que fez?", voltou a perguntar o magistrado.

"Estou profundamente arrependido e envergonhado", declarou Madoff, explicando que a fraude começou nos anos 1990.

"Achava que tudo acabaria rapidamente, e que me livraria assim como meus clientes. Acabou sendo difícil, e, no fim das contas, impossível. Não posso expressar adequadamente o quanto eu sinto", afirmou.

"Não posso expressar convenientemente a que ponto estou arrependido", continuou. "Estou aqui hoje para aceitar a responsabilidade por meus crimes", disse.

O magistrado ordenou logo em seguida sua prisão imediata, e Bernard Madoff deixou a sala do tribunal. Ele saberá da condenação no dia 16 de junho.

"Enviar Madoff para a prisão era a única decisão concreta e se a justiça não tivesse tomado esta decisão teria provocado tumultos do lado de fora do tribunal e nós teríamos participado", reagiu uma das vítimas, Judith Welling, 70 anos, presente com seu marido, de 84 anos.

Welling disse ter perdido vários milhões de dólares.

Uma outra vítima, Bennett Goldworth, explicou nesta quinta-feira na CNN que a fraude "bagunçou sua vida". "Tive de deixar meus negócios. Mudei-me da Flórida. Eu tive de recomeçar tudo. Agora, com 52 anos tenho de voltar a Nova York para morar com meus pais", lamentou, explicando ter investido quase 4 milhões de dólares na Madoff.

O tribunal abriu 25 processos relacionados às vítimas do investidor. Três testemunhas falaram na manhã desta quinta-feira. A acusação calculou que em mais de 20 anos, 177 bilhões de dólares transitaram pelos fundos de Bernard Madoff, em detrimento de inúmeros investidores.

O advogado dele, Daniel Horowitz, rejeitou categoricamente esta estimativa, considerando-a "extremamente exagerada".

Os bilhões investidos pelos bancos, por celebridades, organizações de caridade ou universidades "respondiam a pedidos pontuais de retirada por parte de alguns outros investidores, mas os fundos eram também utilizados para a aquisição de bens destinados a Madoff, aos membros de sua família e a seus sócios", segundo documentos publicados na terça-feira.

"Agora, a questão é saber se ele poderia ter feito tudo isso sozinho", revelou Welling, para quem "há certamente outras pessoas envolvidas".

sms-/lm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG