Berlusconi teria insultado Angela Merkel em gravação telefônica

De acordo com imprensa italiana, o premiê teria ofendido a chanceler alemã em conversa com empresário

iG São Paulo |

O premiê da Itália, Silvio Berlusconi, teria ofendido a chanceler Angela Merkel, durante uma ligação telefônica com o empresário Giampaolo Tarantini interceptada pela Justiça, informou o jornal italiano Fatto Quotidiano. O primeiro-ministro teria dito que a alemã é uma "culona inchiavabile" (tem uma "bundona inviolável", em tradução livre). Em outras escutas vazadas recentemente, em conversas com o editor do jornal Avanti!, Valter Lavitola, Berlusconi se referiu à Itália como "país de merda" .

Reuters
Angela Merkel recebe Silvio Berlusconi em Berlim (12/1)

Essa possível ofensa dirigida à chanceler marca uma série de constrangimentos diplomáticos provocados por declarações do premiê italiano de 74 anos. Há três anos, ele se referiu ao presidente americano, Barack Obama, como um homem "bronzeado".

Nesta sexta-feira, a seção de política dos jornais italianos estava lotada de fotografias de mulheres jovens ligadas a Berlusconi e ao empresário Tarantini, suspeito de agenciar prostitutas para as festas particulares do premiê italiano.

O advogado de Berlusconi, Niccolo Ghedini, divulgou um comunicado dizendo que o premiê desconhecia qualquer ligação entre Tarantini e prostituição, e repetiu que não havia nada escandaloso sobre as noites "festivas" em suas residências.

Berlusconi não está diretamente implicado no caso, embora magistrados queiram entrevistá-lo como testemunha em uma investigação relacionada com extorsão.

Os jornais cobriram em profusão as dezenas de "garotas papi", mostrando revelações novas de uma investigação sobre Tarantini, um empresário da cidade de Bari, no sul da Itália, que é suspeito de oferecer mulheres em troca de favores envolvendo negócios.

"Gianpi, quem você está trazendo para mim esta noite?", teria perguntado Berlusconi na transcrição de uma conversa gravada com Tarantini, preso com sua mulher no início deste mês. Após completar a investigação, promotores agora vão pedir a um juiz que o caso vá a julgamento.

Uma mulher, a atriz Manuela Arcuri, virou heroína no Twitter depois que as gravações mostraram que ela recusou várias vezes os pedidos de Tarantini para frequentar as festas.

Nesta sexta, o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, defendeu seu colega italiano afirmando que quem o critica pelos escândalos tem inveja de suas proezas sexuais. "Quem critica Berlusconi e sua especial atitude em relação ao belo sexo, na verdade quer atacá-lo por inveja. Ele sempre foi um estadista responsável em todos os sentidos do termo", disse o homem forte da Rússia, de acordo com a Ria Novosti, em um fórum econômico em Sochi (sudoeste).

Escândalo

O primeiro-ministro criticou a imprensa "anti-italiana" e a oposição e o que ele chamou de juízes "comunistas" que, segundo ele, teriam planejado os casos com o objetivo de tirá-lo do cargo.

Mas as últimas revelações - separadas do caso "Rubygate", no qual Berlusconi é acusado de pagar para fazer sexo com uma menor de idade - emaranham ainda mais a teia ao redor do político.

A oposição pede que Berlusconi renuncie, dizendo que seus problemas legais e as lutas internas da coalizão o impedem de desempenhar uma liderança eficaz na crise que agora ameaça toda a zona do euro.

* Com AP e Reuters

    Leia tudo sobre: berlusconimerkelescândalo sexualputinitália

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG