O chefe de Governo italiano, Silvio Berlusconi, de 73 anos, deixou nesta quinta-feira o hospital de Milão onde se encontrava internado depois de ter sido agredido no domingo por um homem desequilibrado.

Berlusconi não abriu a janela fumê de seu carro ao deixar o centro médico, mas acenou para os jornalistas. Ainda exibia um curativo no nariz e na parte esquerda do rosto, muito atingidos pela miniatura da catedral com que foi agredido.

Mais de 50 jornalistas e curiosos se reuniram ao lado do hospital à espera de sua saída.

Berlusconi vai direto para sua residência em Arcore, a 15km de Milão, para um repouso que deverá durar duas semanas, segundo recomendações de seu médico pessoal.

"Boa volta para casa", afirmava uma das faixas estendidas junto à entrada da residência Berlusconi, cujas vias de acesso estão estritamente vigiadas pela polícia.

Berlusconi teve que passar quatro noites no hospital San Raffaele de Milão, apesar de um prognóstico inicial que assinalava entre 24 e 36 horas de observação devido às dores persistentes no rosto causadas pelo impacto e a antigos problemas cervicais reavivados pela agressão.

No domingo, o líder conservador italiano foi atacado por um homem com histórico de desequilíbrio mental quando concedia autógrafos, depois de um comício.

O agressor de Berlusconi, Massimo Tartaglia, de 42 anos, que se submete a tratamento psiquiátrico há 10 anos, deverá permanecer na prisão de San Vittore em Milão por ordem judicial.

A justiça rejeitou o pedido de seus advogados para que fosse transferido a um hospital psiquiátrico.

mg/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.