Roma, 28 ago (EFE).- O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, está processando o jornal La Repubblica por difamação em artigos sobre sua vida privada e pelas dez perguntas sobre suas relações com a jovem Noemi Letizia, prostitutas e uso de aviões oficiais, entre outras.

Segundo informa o próprio jornal, Berlusconi pede um ressarcimento de um milhão de euros ao grupo L'Espresso, dono do "La Repubblica", que há dois meses publica periodicamente dez perguntas sobre a vida privada de Berlusconi.

Entre as perguntas do "La Repubblica" estão sobre Noemi Letizia, de 18 anos e a cujo aniversário Berlusconi assistiu em Nápoles e desencadeou o pedido de divórcio de sua mulher, Veronica Lario.

Também sobre as jovens que lhe chamam "papai" às que recompensa com candidaturas eleitorais, sobre prostitutas, "voos de Estado" com aviões que supostamente levavam as meninas às suas residências privadas, se há contradições entre sua política sobre a família e sua atuação privada ou quais seriam "suas condições de saúde", entre outras.

As perguntas jamais foram contestadas por Berlusconi que, segundo o processo apresentado no último dia 24 de agosto, considera "difamatórias e não perseguem obter uma resposta do destinatário mas insinuar ao leitor a idéia que a pessoa interrogada rejeita responder" e são apresentadas como se fossem "circunstâncias verdadeiras, uma realidade de fato inexistente".

A decisão do primeiro-ministro provocou críticas da oposição, como as do secretário-geral do Partido Democrata (PD), Dario Franceschini, que tachou de "incrível" a atuação do líder e que assegurou que "nos encontramos com uma estratégia de intimidação contra um jornal, contra a oposição e contra qualquer que defenda os princípios de um país livre".

Por sua parte, o diretor de "La Repubblica" comentou em um editorial que Berlusconi "decidiu levar perante os Tribunais as dez perguntas para pedir aos juízes que as interrompam de modo que não seja possível pedir-lhe contas sobre assuntos que não soube esclarecer". EFE cps-ebp/fk

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.