Berlusconi perdoa agressor

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, que está se recuperando em sua mansão de Arcore, perto de Milão (norte), perdoou o homem que o agrediu e telefonou ao presidente Giorgio Napolitano, após três meses de relações tensas, informa a imprensa italiana.

AFP |

Berlusconi afirmou ter perdoado Massimo Tartaglia, o desequilibrado que o agrediu no dia 13 de dezembro em Milão, na terça-feira durante uma teleconferência com seu partido, segundo o jornal Corriere della Sera.

"Vocês sabem que sou incapaz de rancor, mas o gesto (de Tartaglia) não deve ser subestimado. Espero que não o libertem cedo demais. Os juízes têm de enviar um sinal para dissuadir outros agressores potenciais", declarou.

Berlusconi também ligou para o presidente da República da Itália, que fez um apelo à calma e a não alimentar as tensões, que poderiam levar a um "confronto civl" entre os partidos políticos.

As relações entre os dois políticos estavam muito tensas nos três últimos meses. Logo depois da sentença desfavorável da Corte Constitucional rejeitando a imunidade penal para o chefe de Governo, no dia 7 de outubro, Berlusconi criticou duramente Napolitano, acusando o presidente de parcialidade e lembrando seu passado comunista.

"Fiquei feliz com a ligação de Berlusconi", declarou o presidente italiano, segundo o jornal La Stampa.

"As relações pessoais entre nós dois sempre foram boas", acrescentou, antes de destacar que "as relações pessoais e institucionais são duas coisas diferentes".

Berlusconi teve o nariz e dois dentes quebrados quando Tartaglia, tratado há uma década por problemas mentais, lhe atirou no rosto uma miniatura da catedral de Milão. Ele passou quatro dias no hospital.

asl/yw/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG