Roma, 24 dez (EFE).- O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, discursou hoje de surpresa em um programa da rádio pública e pediu que os pessimistas deixem de produzir o ódio.

"Espero que todas as fábricas de derrotismo e de pessimismo deixem de produzir uma atmosfera de ódio e de violência não só na política, mas também no consumo e nos investimentos", disse o premiê.

Tanto Berlusconi quanto seu Governo atribuíram o suposto clima de "ódio" no país ao gesto de Massimo Tartaglia, o homem que atirou uma estatueta de metal que quebrou dois dentes e o nariz do primeiro-ministro no dia 13.

O premiê assegurou ainda "que no ano que vem a economia se recuperará".

O discurso à rádio pelo telefone serviu para o primeiro-ministro, que cancelou todas suas atividades públicas após a agressão, fazer um repasse das "conquistas" de seu Executivo.

"Conto com uma equipe excepcional", acrescentou Berlusconi, ao assegurar que nestes 18 meses de Governo realizou um "trabalho extraordinário".

Além disso, disse que seu Governo "enfrentou a crise mantendo em ordem as contas públicas" e acrescentou que seu objetivo até o final de sua Administração será "derrotar definitivamente a máfia".

Berlusconi reiterou que apesar das acusações feitas sobre sua suposta relação com a máfia siciliana Cosa Nostra, "nenhum Governo na história da República italiana atuou com tanta determinação e eficácia contra o crime organizado". EFE ccg/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.