Por Stephen Brown ROMA (Reuters) - O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, negou neste sábado que teria descrito o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, como fraco na questão do Irã durante uma reunião com o premiê de Israel em Roma, como havia informado um jornal israelense.

O jornal de idioma hebreu Maariv informou que Berlusconi se encontrou com Benjamin Netanyahu na última terça-feira e Netanyahu teria dito que Obama poderia "encontrar dificuldade para manter um diálogo" com o Irã após protestos que atingiram o país contra o resultado da eleição presidencial.

O jornal disse que Berlusconi respondeu: "Obama é fraco. Ele está em uma situação difícil. Eu conversei com as pessoas na América e elas me disseram que ele tem sido criticado por sua resposta fraca".

O gabinete da Itália já negou as informações publicadas pelo Maariv dizendo que "isto não reflete de maneira alguma o espírito da conversa".

Berlusconi, que será o anfitrião de Obama na cúpula do G8 no próximo mês, disse: "Eu simplesmente disse que a administração norte-americana está pensando em como responder ao Irã e alguém do Partido Democrata insistiu que Obama assuma uma postura mais forte".

Antes dos protestos contra os resultados da disputa eleitoral no Irã que restituiu Mahmoud Ahmadinejad como presidente, Obama sinalizou que a América estava aberta ao diálogo com o Irã.

O presidente norte-americano tem alertado desde então que qualquer tentativa de diálogo ou diplomacia poderia ser afetada pelo que ele classifica como violência "ultrajante" do Irã com os manifestantes.

Netanyahu encontrou em Berlusconi um firme aliado de Israel ao iniciar sua primeira visita à Europa desde que assumiu o cargo de primeiro-ministro em março.

(Reportagem adicional de Joseph Nasr)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.