Berlusconi se referia aos vazamentos do Wikileaks que revelavam suspeitas sobre a relação com Putin

O presidente do Governo italiano, Silvio Berlusconi, desmentiu neste domingo qualquer tipo de benefício nos acordos energéticos assinados com a Rússia, do qual é acusado em documentos americanos vazados pelo site Wikileaks.

Para isso, Berlusconi jurou "por seus filhos e netos" que não recebeu "um só dólar" e que sempre trabalhou "pelo "interesse da Itália", em um discurso em um comício de seu partido, Povo da Liberdade (PDL), em Roma.

Berlusconi se referia aos vazamentos do Wikileaks que revelavam que o embaixador da Geórgia em Roma disse aos altos funcionários americanos que o Governo de seu país suspeitava que o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, tinha prometido percentual dos lucros dos gasodutos construídos pela russa Gazprom junto com a italiana Eni.

O ministro de Exteriores italiano, Franco Frattini, no sábado durante uma entrevista em um programa de televisão negou a "dependência" da Rússia" em matéria energética como apontavam diplomatas americanos em vazamentos do Wikileaks.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.