Berlusconi garante que nunca pagou para ter relações sexuais

Em entrevista que será publicada na quarta-feira, o premiê italiano Silvio Berlusconi afirmou que nunca pagou uma mulher para ter relações sexuais. A justiça italiana está investigando as revelações segundo as quais acompanhantes foram pagas para passar a noite na casa do chefe de Estado.

AFP |

"Nunca paguei por uma mulher. Nunca entendi a satisfação que poderia haver sem o prazer da conquista", declarou Berlusconi à revista "people Chi", segundo trechos da entrevista divulgados nesta terça-feira pela agência de notícias Ansa.

Uma destas supostas acompanhantes, Patrizia D'Addario, afirmou na semana passada ao jornal "Corriere della Sera" ter ido duas vezes à casa de Berlusconi, em troca da promessa de receber dois mil euros a cada vez.

Outras três jovens foram ouvidas pelos investigadores, e pelo menos uma confirmou ter sido paga participar de uma festa em uma das mansões de Berlusconi, segundo a imprensa.

"Alguém passou missão precisa e extremamente bem remunerada a esta senhora D'Addario", declarou o chefe de governo.

O jornalista da Chi quis então saber se Berlusconi não tinha se dado conta de que Patrizia D'Addario era "uma prostituta de luxo que queria dar um golpe". O dirigente respondeu: "Se suspeitasse de uma coisa dessas, manteria a pessoa a uma distância de milhares de quilômetros".

"Se Berlusconi tem qualquer prova de suas afirmações, deveria transmiti-la à justiça. Caso contrário, deveria ficar em silêncio", rebateu Patrizia D'Addario, citada pela agência Ansa.


Leia mais sobre Berlusconi

    Leia tudo sobre: berlusconiitáliapolêmica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG