Premiê italiano foi submetido a quatro horas de cirurgia para corrigir mordida, gravemente comprometida em ataque de 2009

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, foi submetido nesta segunda-feira a uma operação de quatro horas de duração no rosto como consequência das sequelas da agressão física sofrida em dezembro de 2009 ao fim de um tenso comício político em Milão.

Por meio de um breve comunicado de imprensa, a presidência do governo italiano informou nesta segunda-feira sobre a operação do chefe do Executivo, transmitindo uma declaração do doutor Alberto Zangrillo dee Milão.

"Hoje o presidente do governo, Silvio Berlusconi, foi submetido a uma intervenção cirúrgica maxilofacial de transplante ósseo e de implantação com anestesia geral", diz a nota.

"A intervenção durou quatro horas e foi necessária para devolver a anatomia e a funcionalidade da mordida gravemente comprometida com o ataque de 13 de dezembro de 2009", conclui.

Nesse dia, ao término de um comício político na Praça do Duomo de Milão, Berlusconi foi agredido com uma réplica em miniatura da catedral da capital lombarda, o que fez com que permanecesse internado durante quatro dias em um hospital e ficasse afastado da vida pública durante duas semanas.

O golpe, do cidadão Massimo Tartaglia (em tratamento psiquiátrico há dez anos), causou ao primeiro-ministro uma lesão interna e externa no lábio superior, que necessitou vários pontos, além da ruptura de um dente e uma pequena fratura no nariz, que não precisou passar por cirurgia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.