Berlusconi é investigado por suposta censura à TV, diz fonte

Por Elisa Forte BARI, Itália (Reuters) - O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, está sendo investigado por supostamente tentar pressionar a agência reguladora de comunicações da Itália para censurar programas de entrevistas que venham a criticar seu governo, disse nesta segunda-feira uma fonte próxima à investigação.

Reuters |

A imprensa italiana publicou que grampos telefônicos ordenados pelo Ministério Público na cidade de Trani mostraram Berlusconi reclamando para um funcionário da Agcom, que monitora o pluralismo na televisão, sobre alguns programas na emissora estatal RAI e pedindo para que fossem retirados do ar.

Uma fonte disse à Reuters que Berlusconi estava formalmente sob investigação por suposto abuso de autoridade.

Outra fonte no gabinete do primeiro-ministro informou que o político italiano ainda não fora informado que estava sendo investigado. Na Itália, estar sob investigação não implica culpa.

Berlusconi, que enfrentará eleições regionais no fim do mês, disse estar "chocado" com as notícias de que seu telefone foi grampeado, acusando os promotores de Trani de "flagrante violação da lei" e negando qualquer irregularidade.

Ele disse que há muito tempo manifestou preocupação com os programas de TV de "direita, esquerda e centro que julgam as pessoas sem dar a elas a possibilidade de se defender".

"Isso não é apenas legítimo, mas também um dever", acrescentou.

(Reportagem adicional de Silvia Aloisi)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG