Berlusconi diz que clima político influiu em sua agressão

Roma, 20 dez (EFE).- O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, afirmou hoje que o clima de tensão política vivido no país influi nas mentes débeis, em referência à agressão que sofreu no domingo passado em Milão por parte de um homem com problemas mentais.

EFE |

Berlusconi discursou hoje pela primeira vez desde a agressão e enviou uma mensagem aos que, em uma manifestação em Verona (nordeste), deram seu apoio ao premiê após a agressão do dia 13.

"Quando se fala que um primeiro-ministro é um corruptor de menores, um corruptor de testemunhas, que assassina a liberdade de imprensa, que é um mafioso, um terrorista e um tirano, qualquer mente débil, e infelizmente há muitas, (...) pode querer se transformar em um herói nacional", disse Berlusconi.

O chefe de Governo italiano afirmou que deste episódio se tem que aprender a "respeitar" os adversários políticos sem considerá-los "inimigos".

"Nós já fazemos isso com os outros e gostaríamos que eles também fizessem", apontou Berlusconi, que discursou na manifestação através de uma ligação para o telefone celular de Aldo Brancher, coordenador do partido do primeiro-ministro, Povo da Liberdade (PDL).

Berlusconi foi atingido no rosto por uma réplica em miniatura da Catedral de Milão, jogada por Marco Tartaglia, de 42 anos e que passa por tratamento por problemas mentais, depois de um comício na Praça do Duomo, em Milão.

O golpe fez com que o premiê quebrasse o nariz, dois dentes e causou um profundo corte no lábio, que precisou de alguns pontos de sutura.

Após quatro dias de hospitalização, Berlusconi se encontra em casa em Arcore, localidade aos arredores de Milão, onde os médicos lhe recomendaram que fique em repouso durante pelo menos 15 dias.

EFE ccg/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG